Voltar para Produtos e serviços

ERD – Equipamento para excedentes de rápida decomposição

 Excedentes de Rápida Decomposição

 

DEFINIÇÃO

Os ERD–  Excedentes de Rápida Decomposição são restos de alimentos e produtos colaterais da atividade humana que hoje são impactantes no meio ambiente, quando em grande quantidade, requerendo uma gestão adequada.

Diferente de outros excedentes que podem ser classificados e armazenados, os ERD são perecíveis e entram em decomposição rápida por atividade bacteriana devido a sua grande quantidade de água, o que gera um transtorno no local de sua geração, complicando muito o transporte e destinação.

A Fontes Renováveis desenvolveu uma metodologia para a destinação correta desses ERD, garantindo a Economicidade, a Sustentabilidade e a Inovação.

MÉTODO

Trata-se de selecionar, coletar localmente, armazenar, desidratar, transportar, reidratar, biodigerir, passivar e reutilizar já como biofertilizante o ERD final.

A seleção será definida em comum acordo com o contratante (GPA), pois pela própria natureza randômica dos ERD não se pode definir, a priori, a composição dos ERD. Contudo a análise da serie histórica é uma aproximação fidedigna dessa composição, permitindo que materiais nocivos não sejam introduzidos na cadeia orgânica.

A coleta é a atividade junto ao local produtor que leva o ERD ao equipamento disponibilizado pela Fontes Renováveis que está sob o controle do contratante.

A  armazenagem se dá em equipamento próprio da Fontes Renováveis, que disponibilizará ao contratante, nos volumes e frequência acordados constituídos de equipamentos de  armazenagem e desidratação do ERD de sua responsabilidade.

A desidratação é a chave para a viabilização dessa atividade, pois impedirá que se formem odores, contaminações e degradações no ERD, já que na ausência de água a atividade bacteriana é paralisada.

 

Diferente da conservação pelo frio que exige energia continuamente, locais isolados termicamente e equipamentos caros, a desidratação é realizada uma vez só, dentro do TorreAT  (equipamento desenvolvido) que permite inclusive o transporte desse ERD desidratado.

Desta maneira a água é retirada e devolvida para reuso, o que também é um fator de mérito na sustentabilidade e economicidade, deixando de ser o agente facilitador da decomposição pelas bactérias.

O TorreAT será transportada até a área de processamento e reidratada e ocorrerão adições controladas de extratos  inoculantes nos biodigestores, com a finalidade de reagir e ser totalmente passivado pela ação de bactérias anaeróbicas.

Os ciclos e tecnologias da biodigestão estarão condicionados a ERD original, para qual a Fontes Renováveis conta com equipamentos e técnicas apropriadas.

Sob  controle bioquímico e temperatura controlada, a ERD original será transformada em biofertilizante, e após testes de qualidade e composição de micro e macro nutrientes, classificada, embalada e destinada a emprego na Agricultura de Baixo Carbono – ABC.

 

DA CLASSIFICAÇÃO E TRANPORTE

Devido a INOVAÇÃO intensiva que permeia esse processo, podemos destacar que o ERD NÃO É LIXO como classificação fiscal ou legal. É um produto a ser reprocessado

 

e destinado ao uso que não tem nada de novo, ou seja, desde o principio da agricultura que se aduba plantas com material em decomposição.

O TRANSPORTE se dá em condições de segurança, com o ERD SECO, não sendo diferente de uma carga de um produto qualquer, portanto uma transportadora não precisa ter licencia-mento para executar o trabalho.

 

DO LICENCEAMENTO

Em consulta ao INEA  fomos garantidos que não há exigências legais quanto ao transporte e o ERD não tem a classificação de lixo.

A COMLURB que normaliza apenas o transporte de lixo, também não legisla sobre o transito desses Excedentes.

DA PARTICIPAÇÃO

No escopo desse processo  de Destinação Correta de Excedentes de Rápida Decomposição, a Fontes Renováveis será a responsável pela prestação do serviço tecnológico, aí incluído o fornecimento dos equipamentos dedicados, de armazenagem, desidratação, reidratação, biodigestão, passivação e reutilização do ERD,

A Contratante arcará com a seleção e coleta do ERD, custos da energia local com os equipamentos bem como a guarda desses equipamentos e o transporte dos TorreAT.

Toda a documentação e licenciamento estará de comum acordo entre as duas empresas e a contratante receberá a Certificação de Destinação correta dos Excedentes de Rápida Decomposição para o local contratado.

DA POSSE:

Será de propriedade do contratante todo o material transformado em BIOFERTILIZANTE, que para fins legais, não mudou de proprietário.

Embora a Fontes Renováveis possa orientar e programar a Reutilização do ERD já como Biofertilizante, uma operação de venda ou doação deverá ser realizada, para que haja mudança de propriedade.

Esse sistema evita a classificação fiscal do ERD, eliminando a maioria dos riscos legais envolvidos.

 

CUSTOS ENVOLVIDOS PARA O CONTRATANTE:

– Valor aproximado a ser combinado por Kg na coleta – R$ 0,95 (valor considerando o biofertilizante doado)

 

VANTAGENS PARA CONTRATANTE:

– Redução de custo com descarte do resíduo;

– Sustentabilidade com reaproveitamento de água;

– Destinação correta;

– Ambientalmente correto pois fecha o ciclo retornando a terra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.